Qual o propósito da sua empresa?

Hoje as pessoas não querem apenas ter, elas desejam ser. Elas não querem apenas sucesso, querem ser bem-sucedidas fazendo o que amam. Elas preferem acumular histórias e experiências ao invés de poupar dinheiro durante anos e anos. Além disso, buscam um propósito de vida. Propósito, que segundo o dicionário, é uma intenção (de fazer algo); um projeto. É aquilo que se busca alcançar, um objetivo, uma finalidade.

Se os sujeitos humanos têm propósitos de vida, é natural que as empresas (movidas por estes mesmos sujeitos) também tenham seu propósito perante a sociedade. O que a comunidade perderia se a sua empresa, a partir de amanhã, deixasse de existir? Que diferença a sua empresa faz na vida das pessoas? Respondendo estas perguntas você, provavelmente, encontrará o propósito da sua empresa. Um ponto interessante é que as pessoas e as organizações possuem características e desejos distintos, o que resulta em propósitos diferentes. Ou seja, existem milhões de possibilidades de propósitos.

Trabalho numa instituição de ensino que faz parte de um grupo que possui diversas instituições de ensino em vários estados do Brasil. O propósito deste grupo é transformar o país pela educação. Esta frase aparece em praticamente todas as comunicações, sejam para o público externo ou interno. A temática já se desdobrou, entre outras peças, na criação de uma página no Facebook e num site.

Com essas ações, a empresa aproxima os funcionários dos seus princípios, unindo o grupo sob o mesmo propósito. A consolidação dessa cultura e o entendimento por parte do público interno reflete na visão e na imagem da marca em seu mercado. O publicitário norte-americano Joey Reiman, em entrevista à revista Exame, afirma que empresas com propósito vendem mais. Segundo ele, um exemplo hipotético é o de uma fábrica de salgadinhos que tem o propósito de ajudar a combater a depressão infantil. “Isso cria um significado maior para sua existência e estimula as vendas”.

Reiman cita também o caso da empresa Graco, fabricante de assento infantis e carrinhos de bebês. “Antes, limitava-se a fabricar e vender seus carrinhos e faturava 450 milhões de dólares. Com o propósito de ajudar os pais a criar melhor seus filhos, em uma década, o faturamento mais que dobrou, para 1,3 bilhão de dólares”.

O propósito da empresa deve ser comunicado para todos os stakeholders, mas vale ressaltar que ele não se sustenta apenas pelo discurso, ele precisa ser amplamente praticado, através de ações e atitudes verdadeiras.

Fonte: www.ideiademarketing.com.br



Deixe uma resposta